Fernando Luz

Sobre Veteranos, Baby Boomers, a Geração X, Y e (por que não?) Z

Posted in marketing, monólogos by fernandoluz on junho 16, 2009

geraçõesSemana passada, eu li na HSM Management – uma das melhores revistas em circulação no Brasil, mas que custa a bagatela de R$45,00 – um dossiê sobre o conflito entre as quatro gerações presentes no atual mundo corporativo.

A revista entrevistou alguns especialistas da área e publicou ótimos artigos sobre os problemas dos quatro grupos de pessoas que atualmente trabalham juntos nos escritórios deste mundão de #meuldeus.

Só para dar nome aos bois, ou aos grupos, vamos definir quem é quem de forma aleatória, em homenagem ao excelente filme 21 gramas, que eu vi estes dias e recomendo efusivamente.

Baby Boomers – Os nascidos logo após a segunda guerra. Criadores da globalização, da política econômica mundial vigente, da Previdência Social etc.. Hoje, mais conhecidos como os culpados pela criseembora isto não seja totalmente verdade.

Geração Y – É nós, mano. Quem nasceu da segunda parte da década de 80 para lá. Uma galera que adora feedback, sonha em conciliar lazer e trabalho e é muito, muito mesmo, ligada às novas mídias. Ponto fraco: iskreve mau bagarai.

Veteranos – Senhores que participaram da segunda guerra, não necessariamente ativamente, mas que estavam vivos naquela época; o Silvio Santos, só para citar um exemplo conhecido. São bons em tomar decisões sobre pressão, mas não estão acostumados com tanto contato físico. Ponto fraco: são velhos.

Geração X – Provavelmente seu chefe, se você trabalha em uma empresa cool. Provavelmente seu gerente, se sua empresa não é tão cool assim. Ponto fraco: São muito consumistas e pouco idealistas.

Quatro gerações, com criação e cultura tão diferentes, obviamente, possuem grandes problemas de relacionamento. E a HSM dissertou sobre isto lindamente, com depoimentos que me ensinaram bastante, além de considerações relevantes para todos nós, “corporativos”.

Porém, como bom representante da Geração Y, tenho que dizer algo: houve um problema neste dossiê.

E a nova geração, nascida do fim da década de 80 para cá, que trabalha brincando, criando jogos em flash, sites na internet e, muitas vezes, agindo com o simples intuito de aparecer (muitas outras até sem este intuito), como fica?

Fala-se muito em revolução tecnológica. Mas, para mim, revolução tecnológica mesmo é quando um menino de 12 anos, ao invés de brincar de pipa com seus amigos, mantém um blog onde fala sobre programação em C++, dentre outras coisas – como é o caso do Matheus, irmão de um capitalista amigo meu.

Revolução tecnológica é quando dois adolescentes, em vez de fazerem coisas de adolescentes – vocês sabem… – criam uma rede social bonita, funcional e com público alvo bem definido – como é o caso do Alisson e da Thais, CEOs da filmow.

A HSM estava enganada: Na verdade, não são apenas quatro as gerações conflituosas. São cinco, ou até mais – já que eu arredondei as datas de nascimentos das pessoas destes grupos.

Àqueles que se tornam líderes bem sucedidos são os que mantêm-se informados, no propósito de antever tendências e posicionar-se com firmeza no mercado, independente de qual ele seja.

Portanto, é bom estar ligado nas gerações que habitam o novo mundo dos negócios, afinal, se hoje é difícil nos mantermos no mercado de trabalho, imagine daqui a alguns anos, quando estes novos profissionais tiverem um pouco mais de experiência profissional e, principalmente, de vida.

Ficar atento às gerações que já estão consolidadas é essencial, mas observar a nova geração que nasce cheia de talento e imaginação é aquilo que diferencia um profissional bom, de um excepcional.


Geração Y, para o alto e avante! \o/

Anúncios
Tagged with:

9 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Tiago Moralles said, on junho 17, 2009 at 12:16 pm

    Bom post Fernando.
    De forma cronológica ou não, a geração Y vai dominar mundo hehe.

  2. Fernando luz said, on junho 17, 2009 at 4:39 pm

    Valeu Tiagão!

    Isto ae, rumo à dominação mundial! \o/ rs

  3. Junior said, on junho 17, 2009 at 4:54 pm

    Gostei, só que ele tem 11 anos ainda e não 12 hehe

  4. fernandoluz said, on junho 17, 2009 at 8:19 pm

    @Junior, Pior ainda!

    Na boa, eu tenho medo do seu irmão.
    E, para falar a verdade, de você também. hehe

  5. Alisson Patrício said, on junho 18, 2009 at 11:54 pm

    Ótimo post, muito bom mesmo! Por coincidência estava conversando com uma amiga jornalista sobre esse mesmo tema no mesmo dia que você postou.

    Essa geração de 1995 vai nos surpreender muito no futuro, esses que nasceram já com a internet bombando, smartphones, etc… vão acabar inventando usos espetaculares para essas ferramentas, usos que hoje agente jamais imaginaria.

    Eu não conhecia a regista HSM Management, procurei na banca perto da minha casa mas não encontrei, acredito que não vou conseguir encontrar por aqui, interior é foda hehehe

    Parabéns para o irmão do Junior, aprendendo C++ tão cedo e ainda publicando sobre o assunto, se ele não desistir (acredito que não) será um ótimo desenvolvedor.

    Muito Obrigado pela citação, fiquei muito honrado.

    Abraços e parabéns pelo blog 😉

  6. Fernando Luz said, on junho 19, 2009 at 12:43 pm

    Fala Alisson!

    A HSM é mesmo muito interessante.
    Todas as edições possuem boas matérias; relevantes e bem escritas.

    Pois é. Esta revolução tecnológica não é revolução nenhuma para essa galera que nasceu de 95 para cá. Eles vão nos surpreender no futuro, sim. Mas, pelo menos a mim, eles já estão surpreendendo agora!

    Abração

  7. mtspeakline said, on junho 19, 2009 at 4:27 pm

    Heh falando em Matheus (eu), bom post =)

    Vi sobre a HSM, apesar de nao curtir tanto esse tipo de revista, é interessante (vendo pelas noticias no site).

  8. @gordinha said, on junho 23, 2009 at 3:17 pm

    É isso aí, e dá-lhe aula de português, para aquelix q falam axim, miguxo!

    Engraçado que estava conversando isso com o meu irmão, gestor na área fiscal de uma empresa, ele me falou que a geração Y, não tem paciência, alguns têm apenas 6 meses na empresa e já acham que sabem tudo, querem aumento e, acabam trocando a empresa, as vezes, por uma proposta um pouquinho melhor, conclusão todo o investimento e tempo da empresa e do meu brother, vão para o saco!
    As coisas acontecem tão rápido atualmente, que eu digo por mim mesma que acabo ficando apressadinha, também, em relação a minha carreira. O que a geração y tem que aprender com a geração X é ter calma!

  9. fernandoluz said, on junho 23, 2009 at 8:19 pm

    @mtspeakline

    Olha o garoto prodígio ai!
    Também! Se vc, com 11 anos, gostasse da HSM, na boa, eu ia pedir para seus pais te levarem para a NASA.
    O mundo não tem tido muitos gênios, de Einstein para cá. rss

    Pois é, @gordinha,
    Acho que a gente só vai deixar de ser a molecada que gosta de se chamar de Geração Y, quando aprendermos que os mais velhos não têm só mais idade, mas sim experiência.

    abraçoss


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: